Entrada Lendas
Lendas PDF Versão para impressão
Lenda de Alte
A lenda da Igreja Matriz confunde-se com a história da aldeia de Alte.

Conta-se que havia uma lavradora muito rica do Freixo Verde, que todos os Domingos ia à missa à aldeia de Vila Verde do Vale, hoje denominada Santa Margarida, pois não havia igreja em Alte e a missa nunca começava sem a presença dessa dita senhora.

Mas um dia ela atrasou-se muito e o Sr. Padre começou a dar a missa sem a sua presença. A caminho da aldeia de Vila Verde do Vale, com os seus criados e pensando que sempre iria a tempo de assistir à sagrada missa de Domingo, ela encontrou alguns dos fieis que já vinham de regresso. Espantada de ver as pessoas a caminhar para casa, ela perguntou-lhes:

“- De onde vindes?”
E eles responderam:

“- Nós vimos da missa! Pois, a Sr.ª demorou-se demasiado e o Sr. Padre resolveu iniciar a Missa sem a vossa presença, pois a assistência estava muito agitada com a demora!”

Muito escandalizada com o facto, a dona do Freixo Verde voltou-se para os seus serviçais e disse em voz alta:

“- Alto! Ordeno que se funde aqui uma Igreja e ela será sede de uma Freguesia!”

E assim foi feito. Designaram o nome de nova aldeia pela palavra dita pela Morgada, Alto. Este nome com o passar dos tempos foi-se transformando e hoje a aldeia chama-se, Alte.

 
Lenda de Santa Margarida
A aldeia de Santa Margarida era antigamente denominada por Vila Verde do Vale e era a aldeia mais relevante destes arredores.

Acerca desta aldeia conta-se que havia uma rapariga, chamada Margarida, muito bonita e de famílias pobres que queria ser freira, mas o seu pai tinha planos mais ambiciosos para ela. Pois este queria que ela se casasse com o filho de um rico lavrador da zona. Margarida nunca aceitou as exigências do pai, pois ela achava que tinha vocação para servir a Deus e não queria casar com ninguém.

Para castigar a filha e para que ela mudasse a sua decisão, ele mandava Margarida ir sozinha para o mato apanhar palmas. Mas mesmo assim, Margarida nunca mudou de ideia. Um dia o pai resolveu seguir a filha para saber se não haveria outro motivo que a levasse a aceitar os castigos que ele lhe dava, sem que ela se queixasse sequer. Aí, ele viu Margarida a apanhar as palmas, quando subitamente surge na sua frente uma serpente gigante. Muito assustada, Margarida recuou, mas logo no mesmo instante apareceu uma luz do céu e ouviu uma voz divina que lhe disse:

“- Não tenhas medo Margarida! Põe-lhe o pé em cima que ela não te faz mal.”

E assim foi. Desde esse dia o pai de Margarida nunca mais a castigou, pois tinha constatado com os seus próprios olhos que ela era uma Santa.

A notícia espalhou-se rapidamente, e a aldeia passou a ser conhecida por Santa Margarida e conserva esse nome ainda hoje.

 

Próximos Eventos

Informações Úteis